Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

É uma Vida para Dois

Livros para folhear, filmes para ver, sabores para provar, destinos para descobrir. Gostamos de experimentar tudo o que há de novo aqui e acolá! Queremos a vida bem passada e bem servida, se faz favor!

The Revenant - O Renascido (2015)

Se Babel, 21 Gramas, Birdman e Amores Perros já tinham feito com que Alejandro González Iñárritu se tornasse um dos meus realizadores preferidos, então agora não deixou qualquer hipótese à concorrência. 

 

Baseada em factos verídicos, a história tem tudo para dar certo. Muito resumidamente e sem spoilers, o filme conta a história do Caçador de Peles Hugh Glass que, em 1820, foi atacado por um urso durante uma expedição. Com ferimentos graves e à beira da morte, acaba por ser abandonado pelos seus companheiros.

 

The Revenant é um filme sobre a sobrevivência, vingança e também...amor. Emocionalmente e visualmente violento, The Revenant não é um filme para estômagos fracos e corações sensíveis. O realismo está presente do princípio ao fim, fazendo com que o espectador não seja poupado a nada que não queira ver. Não é um filme para quem pretende descomprimir, para quem quer aliviar o stress do dia-a-dia, nem para aqueles que pretendem um serão agradável numa sala de cinema. É um filme para quem quer apreciar a verdadeira essência do cinema e tem noção de que vai deparar-se com sentimentos e emoções desagradáveis.

 

A sequência das cenas, fotografia, efeitos visuais está absolutamente extraordinária, bem como as representações de todos actores, nomeadamente Leonardo DiCaprio e Tom Hardy. É este ano que Leonardo Dicaprio pode concretizar o discurso que prepara há vários anos.

 

Com 12 nomeações para os Óscares, The Revenant merece cada uma delas. Este ano, não há concorrência à altura. Meu Deus, que obra-prima, que obra-prima. 

 

Boas sessões de cinema,

Mrs.

Gutsy - A nova hamburgeria de Lisboa

Mais uma hamburgueria em Lisboa? - perguntam vocês. Apesar de as hamburguerias estarem na moda e de as suas  inaugurações serem evento recorrente, há sempre espaço para mais se o conceito for bem pensado e marcar pela diferença. É o que acontece com a Gutsy, a mais recente hamburgueria de Lisboa, situada na Rua Pascoal de Melo.

 

O espaço é amplo, minimalista, bem iluminado, proporcionando um ambiente agradável. Recorrendo a inevitáveis comparações, nem apresenta o excesso de ruído que se faz sentir no Honorato, em que ninguém consegue conversar sem megafone, nem peca pelo espaço minúsculo de qualquer uma das Hamburgueria do Bairro, em que obriga a longos períodos de espera para sentar.

 

A forma como a comida é servida também é muito criativa. Apresentada em tábuas, em vez de pratos, introduz um conceito muito criativo, de inspiração rústica. Tudo no Gutsy lembra a cozinha caseira: na parede mora o lema do restaurante - o nosso único aditivo é a frescura: todos os ingredientes da nossa cozinha são naturais e de origem certificada. 

DSC06336-001.JPGDSC06342.JPGDSC06349.JPG 

DSC06317-001.JPG

DSC06322.JPG

Começámos a refeição com os croquetes de alheira, um verdadeiro teaser de comer e chorar por mais.

DSC06319-001.JPG

Para além da tradicional limonada, conquistaram-nos com a limonada de frutos vermelhos, uma bebida deliciosa para acompanhar a refeição. E para além do tradicional hambúrguer de vaca, existem opções de peixe e vegetarianas, bem como saladas e wraps. Não tem que ser sempre hambúrguer, certo?

DSC06327-001.JPG

Experimentámos o Hamburguer Destemido (salmão e camarão com cebolinho, rúcula, tomate, vinagrete balsâmico, maionese de mostarda e bolo do caco de alfarroba) e tornou-se no melhor o hamburguer de peixe que já nos serviram. Ao contrário dos que já conhecemos em hamburgerias/restaurantes especialistas em peixe, em que a combinação peixe-pão era seca e totalmente sem graça, aqui era extremamente suculenta, envolvida num molho único e delicioso.

DSC06332-001.JPG

Experimentámos também o hamburguer intenso (100% novilho, cebola roxa confitada, quejo de cabra e mel, rúcula, vinagrete balsâmico e pão de sementes), numa combinação que resulta maravilhosamente e que nunca tinhamos experimentado. 

DSC06331-001.JPG

 

As sobremesas são em shots. Depois de hamburguéres avantajados, a sobremesa não pode ser muito grande certo? É por isso que estas têm a quantidade certa para encantar o paladar e não pesar o estômago.

Pedimos então a  deliciosa Mousse de Lima...

DSC06347.JPG

...e a maravilhosa Pana Cotta de frutos vermelhos.DSC06344-001.JPG

 A dois passos da nossa casa, a Gutsy promete ser a nossa desgraça. Nos dias em que não apetecer cozinhar, não apetecer ir muito longe, apetecer comer bem e apetecer pagar pouco, está aqui a nossa solução. 

E vocês? Já conheçem a Gutsy? Qual a vossa hambúrgueria preferida?

 

Bom Apetite!

 

Mr. and Mrs.

 

Todas as fotos são da autoria do Uma Vida para Dois

 

Ovo Escalfado em Espinafre e Feta...no Pão

Num dos meus piores pesadelos, imagino-me, talvez daqui a cem anos ou mais, já manco e quem sabe mouco, sentado no consultório de um médico qualquer que, com os resultados das minhas análises na mão, me diz, em tom sério, pesaroso e consternado...que nunca mais poderei comer pão com manteiga para bem da minha saúde. Sim, pão com manteiga, a minha comida de conforto, que me anima nos dias mais cinzentos. A bem dizer, pão com manteiga é apenas um exemplo de todas as coisas maravilhosas que se podem colocar em cima do pão: é dar asas à imaginação e pensar nas mil-e-uma combinações que cabem na palma de uma fatia.

 

É por isso que, cá em casa, muitos dos nossos jantares passam apenas por sopa e pão. 

Numa refeição completa com todos os nutrientes essenciais, partilho então a minha receita de Ovo Escalfado em cama de espinafre e feta...no pão. Como ela adorou o jantar, foi ver os pontos a subir, a meu favor. 

 

Receita para 2 pessoas:

DSC06369-001.JPG

DSC06368.JPG

 

pao com ovo.jpg

 

pao com ovo2.jpg

DSC06371-001.JPGDSC06382-001.JPG

DSC06381-001.JPG

Como apreciador de pão, cozinheiro cá de casa e responsável pela organização da cozinha, ando sempre a sondar novas caixas para guardar o pão.

Foi por isso que quando cheguei a casa com esta caixa super gira da Loja Viva, ela perguntou: "Outra caixa do pão?! Mas já temos uma!". Pois, mas não temos uma tão gira. Ela também concordou e outras caixas da colecção tiveram que vir morar cá para casa. 

DSC06379-001.JPG

 Bom Apetite!

Mr.

 

Outras receitas com pão:

Pão Recheado

Panzanella

Pasta de Abacate com Queijo Fresco

Cebolada de Tomate no Pão

 

Todas as fotos são da autoria do Uma Vida para Dois

 

Destinos Portugueses a visitar em 2016 - Parte II

2016 é grande o suficiente para ser preenchido com novos passeios, novas viagens, e novas aventuras. Afinal, estes doze meses que já começámos a viver são 366 óptimos motivos para não ficarmos presos aos locais que já conhecemos de cor, que já não nos trazem qualquer novidade e que insistimos em pisar todos os dias. 

É por isso que continuamos a fazer crescer a nossa lista de locais a visitar nos próximos meses, preferencialmente quando os dias de sol começarem a desafiar-nos para sair de casa.

 

Alguns leitores de destinos a visitar em 2016 sugeriram vários outros destinos lindíssimos que não conhecíamos e que acreditamos que a maioria de vocês também nunca tenha visitado. 

Assim sendo, segue-se mais uma selecção de destinos menos turísticos e pouco conhecidos, que queremos mesmo muito visitar este ano em PORTUGAL:

 

DORNES 

Podia pertencer ao mundo de Game of Thrones, qual região dos Sete Reinos, mas não: pertence mesmo a Portugal e está situada a 10 km de Ferreira do Zêzere, numa enseada da albufeira do Castelo do Bode. A vila de Dornes é uma das mais curiosas, quer pela sua localização, pelas paisagens e pelo pitoresco do casario, como pelas lendas e tradições que lhe estão associadas. A dominar as casas baixas e predominantemente brancas, fica a torre medieval, que se pensa ter sido construída pelos cavaleiros templários para vigiar o vale do Zêzere. A fundação da aldeia remonta ao século XII e está ligada ao aparecimento de uma imagem milagrosa de Nossa Senhora do Pranto. A primeira igreja foi mandada construir pela Rainha Santa Isabel em finais do século XIII, substituída por uma de maiores dimensões no século XV. 

Melhor, melhor, é saber que está situada apenas a uma 1:40 h de Lisboa

 

Se houver tempo para descobrir outros encantos do Zêzere, o passeio a Dornes poderá ser completado e enriquecido com uma visita à cidade de Tomar, ao castelo de Almourol e até a Praia Fluvial Lagoa Azul (Castanheira), ideal para um banho à beira rio num dia quente de verão. Quando a estadia, o que não falta são estalagens e hotéis com vista para o rio, ideais para passar uma noite fora do búlicio da cidade.

http://www.lifecooler.com/artigo/passear/dornes/327935/

http://www.dornestur.pt

 

 

PERCURSO PEDESTRE ENTRE  PIODÃO e FOZ D'ÉGUA

A Aldeia de Piódão já toda a gente conhece pelo menos de nome. Considerada uma das mais bonitas do País, está classificada como “Aldeia Histórica de Portugal“ e pertence ao concelho de Arganil, na encosta da bonita Serra do Açor. 
As suas típicas casas de xisto e lousa, com janelas em madeira de azul pintadas, descem graciosamente a encosta da serra, sendo por muitos apelidada de “aldeia presépio”
Aldeia de acessos difíceis, é um excelente exemplo de como o ser humano se adaptou ao longo dos séculos aos mais inóspitos locais. A natureza envolvente está quase que em estado puro, observando-se pela região diversas espécies de fauna e flora típicas do local.

 

O que nem toda a gente conhece, é o percurso pedestre que se faz entre o Piódão e Foz d’Égua, um dos mais interessantes pela Serra do Açor. Trata-se de um percurso com declive pouco acentuado, com uma ou duas exceções. Algumas casas abandonadas que se cruzam no caminho relembram a atividade pastorícia. Nas clareiras podem avistar-se colmeias, testemunho da atividade apícola.

No final do percurso está então Foz d´Égua, onde se encontra uma piscina naturalpraia fluvial de grande beleza, o ponto de encontro da ribeira de Piódão com a ribeira de Chãs, que correm em direcção ao rio Alvoco. 

Querem programa mais pitoresco, original e completo que este?

http://www.guiadacidade.pt/

http://casadapadaria.com/caminhada-piodao-foz-degua/

 

 

PORTELA DO HOMEM 

A Cascata da Portela do Homem é apenas um dos Paraísos do Gerês e é também um ponto de fronteira entre Portugal e Espanha. Esta fronteira, para além de ser a única do distrito de Braga e do Baixo Minho, é a via de entrada entre a Galiza e o coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês, no concelho de Terras de Bouro. As paisagens são, obviamente espectaculares e por si só merecem uma visita.

 

Como Chegar?

Como partida do centro das Caldas do Gerês, deve seguir-se em direção à Barragem da Caniçada. Mais alguns metros à frente é possivel encontrar um entroncamento à esquerda, com a indicação “Ermida”. Seguindo nessa direção, é possível percorrer uma estrada apertada com belas paisagens.

Mais alguns quilómetros à frente, começam a visualizar-se alguns riachos de água, que pertencem ao Rio Arado. Em seguida, na mesma estrada, encontrar-se-à, do lado direito, as Cascatas do Rio Homem, na Portela do Homem. Num dia quente de Verão, nada como refrescar nas belas e límpidas águas da cascata.

http://www.maravilhasdogeres.pt/

 

 

ILHA DA BERLENGA

Património natural de grande valor, o pequeno arquipélago das Berlengas está situado a cerca de 10km a oeste de Peniche.
A Ilha principal, a Berlenga, é um local que ainda hoje se apresenta quase no seu estado natural, pouco alterado pela mão humana. O acesso à ilha faz-se de barco através de Peniche, numa viagem com a duração de 30 a 40 minutos. As visitas à Berlenga estão condicionadas ao máximo de 350 visitantes por dia, de modo a manter a maior naturalidade em todas as espécies que habitam a ilha. 
 
Ideal para passar um dia diferente de Verão, a ilha é procurada por aqueles que gostam de mergulho, praias pequenas de águas cristalinas e visita às grutas.

http://www.berlengoest.com
 

 E vocês, já conheciam estes locais?

 

Ficamos à espera de sugestões de locais menos turísticos para acrescentar à nossa lista!

 

Até lá...

Boa Viagem!

 

Mr. and Mrs.

Bom Dia e Boa Tarde no Cook It

O Brunch é aquela refeição maravilhosa que nos dá Bom Dia e Boa Tarde ao mesmo tempo. A junção de duas refeições numa só, a fusão perfeita entre o pequeno-almoço e...o almoço. Depois de uma semana exaustiva de trabalho, que culmina num Sábado em que estamos os dois de folga ao mesmo tempo - raridade das raridades - nada como acordar preguiçosamente  depois do meio-dia e sair de casa para nos demorarmos entre conversa e comida. A dois passos de nossa casa, fomos conhecer o Cook It, na Avenida Pascoal de Melo. 

 

A decoração vintage-moderna faz-nos sentir em nossa casa, mesmo estando fora dela. O espaço acolhedor, cheio de detalhes criativos encanta em cada pormenor, numa tentativa extremamente bem sucedida de combinar um toque de antigo com uma pitada de moderno.

DSC06315.JPG

DSC06283.JPG

DSC06284.JPG

DSC06289-001.JPGDSC06304-001.JPGDSC06285.JPG

DSC06313.JPGDSC06296-001.JPG

DSC06282.JPG

Existem dois tipos de Brunches, o Paris e o Londres (ler na imagem acima) conforme os sabores que queremos provar. Nós pedimos um de cada para partilhar entre os dois.

 

DSC06290-001.JPG

 Café com Leite, Pão Fresco, Croissaint...

 

DSC06295.JPG

 ...Salmão Fumado, Mozarella, Tomate, Manjericão, Queijo e Fiambre.

 

DSC06294-001.JPG

Ovos mexidos e bacon...como dita o clássico pequeno-almoço britânico!

 

DSC06298-001.JPG

Fruta, Muesli e Mel..humm!

 

 

DSC06302-001.JPG

Panquecas frescas e fofas, com Nutella para Barrar: uma delícia!

 

20160116_140411.jpg

DSC06300-001.JPG

Variedade e qualidade. Sumo de laranja, iogurte natural, compota, manteiga, pastel de nata...

 

DSC06306.JPGDSC06305-001.JPG

DSC06307.JPG

 

Opção de leitura durante a refeição: jornais e revistas disponíveis para todos os gostos. Depois de ler, não esquecer de devolver, conforme dita o lembrete na parede.

DSC06309.JPG

DSC06310-001.JPG

 

As casas de banho cheias de humor. Não há que enganar na porta, o letreiro confirma a direcção no sentido de quem tem sempre razão!

DSC06311.JPG

DSC06312.JPG

Se à primeira vista o Cook It parece ter pouco espaço, existe outra sala para grupos grandes com uma decoração igualmente encantadora. Quanto a nós, adorámos o Brunch e temos curiosidade de experimentar as outras opções do menu para almoços e lanches, tais como saladas, pratos típicos, scones, entre outros. Da próxima vez, a visita não será apenas nossa, mas também com amigos ou familiares que arrastaremos conosco. Afinal, o que é bom é para ser partilhado...!

 

Bom Sábado...

E Bom Apetite!

 

Mr. and Mrs.

 

Todas as fotos são da autoria do Uma Vida para Dois

 

 

Destinos Portugueses a visitar em 2016

O início de um novo ano é a altura ideal para começar a planear novos passeios e novas viagens. Para nós, o entusiasmo de uma viagem não passa apenas pela chegada ao destino: começa sim no planeamento e na antecipação.

É por isso que já começámos a fazer a nossa lista de locais a visitar nos próximos meses, quando o bom tempo começar a espreitar pela janela. 

Assim sendo, menos turísticos e pouco conhecidos, seguem-se os destinos que queremos mesmo visitar este ano em PORTUGAL:

 

OS PASSADIÇOS DO PAIVA

Os Passadiços do Paiva localizam-se na margem esquerda do Rio Paiva, no concelho de Arouca, distrito de Aveiro. São 8 km que proporcionam um passeio pela Natureza, junto a descidas de águas, cristais de quartzo e espécies em extinção na Europa. O percurso estende-se entre as praias fluviais do Areinho e de Espiunca, encontrando-se, entre as duas, a praia do Vau. Uma viagem pela biologia, geologia e arqueologia que nós não vamos querer perder.

Embora com reabertura prevista para breve, os passadiços do Paiva encontram-se de momento encerrados em sequência de um incêndio que destruiu parte do percurso no ano passado.

http://www.passadicosdopaiva.pt

 

PORTAS DE RODÃO

As Portas de Ródão são uma formação geológica situada perto de Vila Velha de Ródão, resultante da intersecção do duro relevo quartzítico da Serra das Talhadas com o curso do rio Tejo. Neste local há um estreitamento do vale, que aqui corre entre duas paredes escarpadas, que atingem cerca de 170 m de altura, fazendo lembrar duas "portas", uma a norte no distrito de Castelo Branco, e outra a sul no concelho de Nisa.

No topo da porta norte, que é facilmente acessível por estrada, situa-se o pequeno castelo do Rei Wamba. Deste local vislumbra-se um vasto panorama sobre o vale do Tejo a jusante das Portas, com o Conhal do Arneiro, na margem esquerda, e o povoado paleolítico de Vilas Ruivas, na margem direita.

As Portas de Ródão são igualmente um local privilegiado de observação da avifauna, servindo de habitat à maior colónia de grifos de Portugal, assim como à cegonha-preta ou ao milhafre-real. 

 

 

PARQUE DAS PEDRAS SALGADAS

Parque de Pedras Salgadas situa-se no interior norte de Portugal a 580 metros de altitude, pertencente ao concelho de Vila Pouca de Aguiar. Dispõe de 20 hectares de pura natureza, com oito quilómetros de caminhos, no qual está inserido o conjunto turístico Pedras Salgadas spa & nature park,

Do alojamento disponível, as Tree Houses são a opção de alojamento que gostaríamos de experimentar. Da autoria do arquiteto Luís Rebelo de Andrade, as casas da árvore surgiram do desafio de criar um elemento que pudesse ir ao encontro do imaginário das casas da árvore. 

No interior, as casas da árvore têm duas janelas, uma que permitem observar a vida que corre no parque e outra para olhar as estrelas, uma casa de banho dividida em 2 partes, uma kitchenette, uma cama de casal e um sofá.

 

Conseguem imaginar algo melhor que estar confortavelmente deitado a ver as estrelas? Nós não...!

http://www.pedrassalgadaspark.com

 

CASTELO DE ALMOUROL

O Castelo de Almourol, no Ribatejo, localiza-se na Freguesia de Praia do Ribatejo, Santatém. Erguido num afloramento de granito a 18 m acima do nível das águas, numa pequena ilha de 310 m de comprimento por 75 m de largura, no médio curso do rio Tejo. O acesso à ilha e ao castelo faz-se em embarcações com capacidade para 20 pessoas.

A envolvência mágica transporta-nos ao tempo dos reis e rainhas, Parece-nos um óptimo passeio para um dia de Primavera!

http://welcome-to.pt/turismo/castelo-de-almourol/

 

 Existem por aí mais destinos menos conhecidos para partilhar?

Queremos a nossa aumentar a nossa lista de passeios para 2016!

 

Mr. and Mrs.

 

Ver: Destinos Portugueses a Visitar em 2016 - Parte II

http://umavidaparadois.blogs.sapo.pt/destinos-portugueses-a-visitar-em-2016-71633 

Cantina 32

O nosso restaurante preferido no Porto é do Chef Luís Américo e mora na Rua das Flores. Local de passagem obrigatória numa visita à cidade, o nosso estômago nunca perdoaria uma ida ao Porto passar pela Cantina 32.

 

É o nosso restaurante preferido por vários motivos, a começar pela decoração. Restaurante bem decorado é meio caminho andado para conquistar as nossas prefências. Prima pela critatividade, ao recriar uma atmosfera vintage, com um toque moderno e inovador, num estilo industrial chic

 

O atendimento é atencioso e atento, os funcionários distinguem-se pela simpatia e disponibilidade.  

E claro, o factor principal, que coloca a cantina 32 no podium dos melhores sabores que já provámos, é obviamente a maravilhosa comida. Não só a apresentação dos pratos supreende pela criatividade, como a confecção e sabores colocam qualquer um a comer e a chorar por mais. 

 

Tanto existem pratos individuais, como mini-pratos e pestiscos para partilhar. Nós gostámos mais da segunda opção, ao pedir uma maior quantidade de pratos, é possível provar uma maior variedade de sabores. 

DSC06119.JPGDSC06125.JPGDSC06109.JPG

DSC06123.JPGDSC06124.JPGDSC06112.JPGDSC06110.JPG

 

DSC06111.JPG

A manteiga de banana com flor de sal faz parte do couvert, numa combinação delicosa entre o doce e o salgado. Qualquer pedaço de pão fica delicioso barrado com esta manteiga! 

 

DSC06116.JPG

Para se comer bom Bacalhau à Brás bom é aqui. Provavelmente dos melhores que já comemos.

 

DSC06113.JPG

 Ovinhos de codorniz com bacon panados, uma combinação inesperada, mas supreendentemente deliciosa.

 

 

 

DSC06115.JPG

 

Polvo com Batata Doce, tão bom!

 

DSC06117.JPG

Batatas fritas carnudas com queijo e molho, óptimas para acompanhar todos os petiscos.

 

DSC06118.JPG

O nosso pestico preferido do restaurante são os croquetes de alheira com molho de mostarda e mel. Meu Deus, que combinação de sabores, que combinação de sabores!

 

DSC06120.JPG

Quanto às sobremesas, a Terrina de Chocolate 3 é uma das especialidades da casa, um bolo espalmado com smarties de menta e natas azedas.

 

DSC06121.JPG

O Leite creme também é delicioso

 

DSC06122.JPG

O cheesecake de banana caramelizada e chocolate é o ex-libris da casa. Absolutamente delicioso, as camadas do cheesecake encontram-se invertidas, com a base habitual no topo, apresentado num vaso.

 

Na altura de pagar a conta, o preço a pagar em nada assusta. Se não nos enganamos, pagámos cerca de 15 eur por pessoa.

Como ainda não provámos todos os itens do menu, teremos que voltar até esgotar todas as opções. Aguardamos a próxima ida ao Porto, já a salivar...

E vocês, qual o vosso restaurante preferido no Porto? Já conheciam a Cantina 32?

 

Bom Apetite!

 

Mr. and Mrs. 

 

Todas as fotos são da autoria do Uma Vida para Dois

 

Férias D'ouro - experiências inesquecíveis

Ainda há bem pouco tempo atrás, vivia convencida de que férias não eram férias se não fossem passadas fora do país. A qualidade, pois claro, estava "lá fora" e não aqui. "Lá fora" come-se muito melhor, não haja dúvida. "Lá fora" os sítios são bem mais bonitos, únicos, especiais. Mais que não fosse, sinónimo de férias significava não ter que ouvir falar a língua que já se ouve falar durante todo o ano. Pois eis que Portugal, este país onde nasci, à semelhança de um pai que dá avisos e aconselha mas que deixa que o filho chegue às conclusões por si mesmo, fez-me sentir envergonhada ao constatar que  tenho alimentado um tremendo preconceito. 

 

É certo que nos últimos anos, à medida que tenho vindo a conhecer de Portugal de Norte e Sul, tenho vindo a duvidar dessa teoria ao ficar supreendida pelos locais por onde passava. Mas foi principalmente nas últimas férias de 2015, no último mês do ano, que o Douro me provou que realmente passamos ao lado da beleza que está ao nosso lado achando que vamos encontrar melhor além fronteiras.

É por isso que não podemos deixar de partilhar aqueles locais que ao longo de 3 noites e 4 dias nos marcaram e que aconselhamos a todos os que visitam o Douro. Entre miradouros, vilas e trajectos, deixamos aqui o nosso TOP de experiências a não perder na região:

 

Miradouro de S.Silvestre (Mesão Frio): A subida para o miradouro faz-se de carro e é muito íngreme. Sabemos que o final da travessia se aproxima quando avistamos a igreja de S.Silvestre, lá no cimo, a contemplar a paisagem. Do miradouro consegue-se observar o rio Douro que descreve uma curva em "L", harmonioso entre casas e vinhas. Foi o primeiro miradouro que visitámos, deixando-nos de queixo caído com a beleza da paisagem.

douro4.JPGdouro1.JPG

douro2.JPG

douro3.JPG

 

Peso da Régua

Capital comercial da região do Douro, é daqui que partem os cruzeiros pelo rio. Como viemos em Dezembro, não tivemos a oportunidade de poder realizar o famoso passeio ao longo do rio. É aqui que se encontra grande parte do comércio tipico do Douro, pelo que encontrámos várias lojas com produtos locais únicos. Díficil foi não trazer tudo! 

Embora a mão do Homem esteja mais presente nesta cidade do que em qualquer outra região do Douro, em que construções se sobrepõem à natureza, também Peso da Régua tem os seus encantos.

20151215_143853.jpg

DSC06025.JPG

ponte.JPG

DSC06029.JPG

 

Estrada entre Peso da Régua e Pinhão

As estradas no Douro são muitas vezes tortuosas e sinuosas, exigindo uma condução atenta. Ele fez questão de ser o motorista de serviço da viagem: "tu estás habituada a conduzir na cidade e eu nasci fora de uma grande cidade, estou mais habituado a estes caminhos. Está claro que quem deve conduzir sou eu."

Tubo bem, para mim óptimo, quanto menos forem as coisas para me preocupar nas férias, melhor. Como é óbvio, eu fiquei em clara vantagem: no Douro, o destinos é tão importante como percurso, pelas paisagens esplendorosas que vão passando por nós. Quem não tiver a responsabilidade da condução, tem a possibilidade de apreciar a paisagem a 100%. Bem, ele não pode dizer que eu não me ofereci!  

 

De todas essas estradas a mais bonita, é sem sombra de dúvida, a que liga o Peso da Régua ao Pinhão. São 27 km e 93 curvas, mas a experiência é fabulosa. Pelo caminho, fizemos várias paragens para tirar fotografias e contemplar a paisagem.

douroo2.JPG1.JPG

douroo3.JPG

douroo4.JPG

DSC05989.JPGdouro5.JPG

3.JPG

 

Pinhão

Esta pequena vila tem as paisagens que mais nos encantaram. Junto ao cais, é possível encontrar uma perspectiva panorâmica única e tirar fotografias dignas de um postal. As cores típicas do Outono são reflectidas no rio e compõem a paisagem como num quadro. Sobre o rio, uma ponte pedestre foi inaugurada em 2015, permitindo passar sobre a água e contemplar a paisagem de vários ângulos.

 

É também obrigatório passar pela estação dos caminhos-de-ferro do Pinhão, com uma envolvência que faz parecer que afinal vivemos no ínicio do século XX e estamos prontos a apanhar o comboio para uma longa viagem. Os famosos azulejos ilustrados retratam a azáfama das vindimas.

galafura7.JPGDSC05841-001.JPG10.JPG

 

galafura6.JPG

 

 

DSC05870.JPG

pinhao.JPG

DSC05971.JPG

 

Miradouro Casal de Loivos (Alijó)

Esta é uma das paisagens que se destacam no Douro, tendo sido considerada pela BBC Londres como uma das mais bonitas do mundo. Daqui, avistam-se os rios Douro e a povoação de Pinhão. A subida é íngreme, mas vale a pena subir cada metro.  

DSC05959.JPG

 

casal de loivos.JPGDSC05947.JPG

 

Miradouro de São Leonardo da Galafura 

Este é considerado um dos miradouros mais bonitos de toda a região do Douro. Não estava um sol maravilhoso quando subimos ao miradouro, mas sim uma atmosfera que não esperávamos, proporcionando uma aura única de misticismo e magia.

Famoso por ser o miradouro de Miguel Torga, o escritor considerava o Douro como um  "excesso de natureza" e um "poema geolóogico". A visão panorâmica a grande altitude dá-nos uma sensação única de liberdade. "Podemos ficar aqui para sempre? " - ainda perguntei - poder, até podíamos, mas então e os outros encantos do Douro que ainda tinhámos por descobrir? 

Á saída do miradouro encontrámos um pastor e o seu rebanho. Segundo nos contou, ele, as suas ovelhas e os seus cães, já estavam habituados a ser protagonistas de atenção, ao serem alvo de atenção por parte das centenas de turistas que por ali passavam. "Fui a Lisboa uma vez há muitos anos" - contou-nos ele -"jurei para nunca mais! Tantos carros, tanta confusão! Aqui sim, respira-se ar puro e vive-se em paz". Verdade, verdadinha, nós fomos testemunhas: a Natureza mora aqui.

panoramica.JPG

20151214_131536-cópia.jpggalafura3.JPGDSC05731.JPGgalafura.JPG20151214_131833.jpggalafura4.JPG

galafura2.JPG

DSC05771.JPG

DSC05775.JPG

DSC05781.JPG

DSC05784.JPG

DSC05785.JPG

DSC05962.JPG

Férias de 2015 passadas, toca a planear os destinos para 2016. Quanto a vós, não sejam como aqueles maridos (e mulheres!) que vão procurar lá fora quando têm melhor em casa. Nas próximas férias, façam as malas mas não apanhem o avião. Apanhem o comboio ou peguem no carro e partam à aventura por esse jardim à beira-mar plantado.

 

Boa Viagem,

Mrs.

 

Todas as fotos são da autoria do Uma Vida para Dois

Férias D'ouro - A Quinta do Bosque

Quando decidimos passar 3 noites e 4 dias no Douro, nas nossas férias de Dezembro, a escolha do alojamento foi a decisão mais fácil. O Booking.com é a nossa plataforma de eleição para reservar um local onde dormir e a Quinta do Bosque era das opções com melhor nota, melhores comentários, melhor relação-qualidade preço e claro, com as fotografias mais encantadoras.

7.JPG

Situada em Mesão Frio, a 20 minutos de Peso da Régua, a casa Quinta do Bosque um local óptimo para ficar hospedado. Para além do Miradouro de S.Silvestre que proporciona uma vista lindíssima sobre a paisagem, Mesão Frio está relativamente perto de outros locais imperdíveis no Douro.

 

A acessibilidade à Quinta não é fácil nem prática: as estradas sinuosas e caminhos tortuosos que caracterizam a região do Douro fazem com que a maior parte do alojamento da zona não seja o mais acessível. No entanto, vale 100% a pena.

 

À chegada à Quinta do Bosque as boas-vindas chegaram com um cálice de vinho do Porto, biscoitos e pastéis de nata, servidos junto à lareira na sala com vista para a paisagem. 

DSC05646-cópia.JPG

Para nós, seria muito importante que, passando férias no Douro, o alojamento tirasse partido da paisagem e nisso, a Quinta do Bosque não deixa a desejar, com as suas janelas panorâmicas ao longo da casa e com varanda nos quartos. Bastava pressionar o botão do telecomando para que a persiana subisse e a paisagem desejava-nos o bom-dia quando ainda nem tínhamos levantado da cama! Toda a casa está decorada com extremo requinte, atenta aos pormenores. Para além de acolhedor e confortável, o quarto  tinha ao dispor chá e biscoitos sem custos extra. 

DSC05644.JPGDSC05908.JPG

DSC05655.JPG

DSC05656.JPG 

DSC06034.JPGDSC05904.JPG

O pequeno-almoço é buffet e não tem hora fixa para ser servido! Variado e delicioso, foram servidos produtos são caseiros e regionais que nos deliciaram o paladar.  

DSC05902.JPGDSC05905.JPG

DSC05906.JPG

DSC05907.JPG

quinta do bosque.JPG 

DSC06033.JPG

É o destino ideal para quem procura sossego, paz e tranquilidade. 

Fica a vontade de regressar em dias quentes para que seja possível desfrutar da maravilhosa piscina. Quanto a vocês, apressem-se a fazer a vossa reserva: a Quinta do Bosque só dispõe de 3 quartos.

 

Em breve publicaremos a nossa experiência pelo Douro.

Até lá...

bons passeios!

 

Mr. and Mrs.

 

Todas as fotos são da autoria do Uma Vida para Dois